A VASECTOMIA

Laqueação dos canais deferentes/Esterilização masculina

 

EFICÁCIA

99,8% – 99,9%

 

SEM HORMONAS

 

QUANDO…

Caso não queira ter filhos ou mais filhos

 

ATENÇÃO

Não protege contra as IST.

* Fonte: As percentagens de eficácia provêm de OMS (2018)

COMO FUNCIONA?

A vasectomia consiste na laqueação (cortar e atar) dos canais deferentes. Estes canais ligam os testículos, o órgão onde são criados os espermatozoides, à próstata, onde o líquido seminal que acompanha os espermatozoides é segregado. O esperma (espermatozoides + líquido seminal) continua o seu caminho através da uretra onde será ejaculado em caso de estimulação ou relação sexual. 

Quando os canais deferentes estão laqueados, os espermatozoides não conseguem avançar para a saída! Assim, só o líquido seminal será ejaculado.

Os espermatozoides que não são ejaculados não se acumulam. São eliminados pelo organismo à medida que são formados, num processo natural e que não é perigoso para a saúde. De facto, quer um homem tenha sido sujeito a uma vasectomia ou não, é impossível ejacular todos os espermatozoides produzidos pelo organismo (Nota: os testículos produzem vários milhões de espermatozoides por dia!). 

Mais especificamente, esta operação é realizada em meio hospitalar por um urologista, sob anestesia geral mas sem suturas, e dura cerca de 15 minutos. Implica uma pequena incisão ao nível do escroto, a pele que rodeia os testículos, para que o médico aceda aos canais deferentes. 

Nos dias seguintes à operação, é natural que a zona operada esteja um pouco sensível ou que surja um hematoma durante alguns dias. É desaconselhado praticar desporto ou levantar objetos pesados. 

A quantidade de esperma aquando da ejaculação não se altera porque o esperma contém 2 a 3% de espermatozoides. A vasectomia não influencia a qualidade da ereção, ejaculação, desejo sexual ou nível de testosterona. 

Após a operação, são necessárias, em média, 20 ejaculações ou é necessário esperar entre 3 a 6 meses no máximo para que a vasectomia tenha um efeito contracetivo. Durante este período, deve utilizar-se outro método contracetivo. Após este período, é necessário realizar um espermograma, um exame que permite ver se ainda há espermatozoides na ejaculação. Se já não existirem espermatozoides, o paciente será estéril, ou seja, poderá ter relações sexuais sem qualquer método contracetivo complementar e sem que haja risco de uma gravidez indesejada. 

PORMENORES INTERESSANTES

COMO RECORRER À VASECTOMIA

ETAPA 1 

Primeiro, deve consultar um urologista. Esta consulta é uma boa oportunidade para colocar as suas perguntas e aprender mais sobre o procedimento. No Luxemburgo, não há períodos obrigatórios de reflexão para recorrer à vasectomia. A data da realização da vasectomia pode variar em função do parecer ou da disponibilidade do urologista. 


ETAPA 2

Depois de marcada a operação, deverá dirigir-se ao hospital a fim de proceder à operação que dura cerca de 15 minutos, sob anestesia local. 


ETAPA 3

Após a operação, o período de convalescença varia entre algumas horas e alguns dias, conforme o caso. 


ETAPA 4 

Três meses após a operação é necessário realizar um espermograma, um teste que permite verificar se o esperma está bem esterilizado, ou seja, que já não contém espermatozoides. Após a confirmação do espermograma, a pessoa estará a partir de agora estéril. 

ONDE SE FAZ?

Hôpital

Em meio hospitalar

A vasectomia é realizada por um profissional de saúde, normalmente um urologista, em meio hospitalar, apenas a pessoas maiores de idade. A operação dura cerca de 30 minutos e, por norma, é realizada sob anestesia local. No Luxemburgo, esta intervenção custa em média entre 500€ e 1200€, mas este preço fica ao critério do profissional de saúde. Este procedimento não é reembolsado pela CNS, salvo por indicação médica e autorização prévia da junta médica (APCM) da CNS.

Após a operação, é realizado um ou mais espermogramas a fim de assegurar que efetivamente já não há espermatozoides no esperma.

PERGUNTAS JÁ COLOCADAS

A vasectomia influencia o desejo sexual?

Não. A vasectomia não tem qualquer impacto ao nível do desejo sexual, da ereção ou da ejaculação. O desejo é regulado pelo nível da testosterona segregada pelos testículos. O nível de testosterona não é afetado pela vasectomia, que só diz respeito à laqueação dos canais deferentes. 

A operação é dolorosa?

Não. A operação é efetuada sob anestesia local. Por vezes, a anestesia nem é útil. A operação é rápida e indolor e apenas demora cerca de 10 minutos). No entanto, pode sempre surgir um pequeno hematoma.

É possível ejacular após uma vasectomia?

Sim. A diferença reside no facto de que o esperma já não terá espermatozoides. Com efeito, estes representam apenas 1 % a 3 % do líquido ejaculado. Assim, é possível ter uma ereção e ejacular, sendo que a ausência de espermatozoides não é visível a olho nu e a quantidade ejaculada não varia o suficiente para se notar.

Quanto tempo dura a recuperação?

É aconselhável repousar nas 24 horas seguintes à operação. Além disso, não é aconselhável praticar desporto ou ter relações sexuais durante cerca de uma semana. Atenção! A vasectomia não é eficaz desde o início. Deve esperar-se, no mínimo, três meses a fim de garantir que já não há espermatozoides no esperma. Até lá, utilize um método contracetivo complementar (por exemplo, preservativo interno ou externo).

A vasectomia é reversível?

Normalmente não. A vasectomia também é chamada «método cirúrgico definitivo» pelo que não é suposto ser reversível. Contudo, pode conservar o seu esperma antes de efetuar a operação, sendo as despesas a seu cargo. É possível realizar operações de « aconselha-se» mas são dispendiosas e não garantem o regresso da fertilidade (entre 10 % e 75 % de gravidez a termo). O sucesso desta operação varia em função de outros fatores, tais como idade, tempo decorrido desde a operação, tipo de vasectomia, etc. Assim, a vasectomia deve ser considerada irreversível.